Novo Boletim mostra chegada precoce de crianças e adolescentes aos hospitais

Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2019 - Em sua 17 ª edição, o Boletim Informativo do Unidos pela Cura, lançado hoje pelo Instituto Desiderata, traz boas notícias: o compromisso do grupo com a chegada precoce de crianças e adolescentes aos centros de diagnóstico e tratamento está alcançando seu objetivo. Dos 1.564 casos encaminhados com suspeita de câncer pela Atenção Primária de saúde, entre 2009-2018 através do fluxo do Unidos pela Cura, 90% foram agendados em hospitais especializados em até 72 horas.

“Esse é um resultado que mostra que o trabalho conjunto entre os três níveis de governo, a sociedade civil e os hospitais públicos do Rio de Janeiro traz benefícios para toda a sociedade”, analisa a diretora executiva do Desiderata, Roberta Costa Marques. “Esse fluxo de encaminhamento é monitorado pelo Desiderata e há 10 anos acompanhamos o resultado através deste Boletim, o que nos dá um panorama das barreiras e conquistas enfrentadas pelo diagnóstico precoce no município do Rio de Janeiro”, afirma.

Estruturada a partir de três eixos – informação, fluxo e capacitação – a política Unidos pela Cura (UPC) tem suas ações acompanhadas anualmente através da publicação lançada hoje. Ela mostra, por exemplo, que 3.632 profissionais da Estratégia Saúde da Família já foram capacitados nos cursos para identificação de sinais e sintomas do câncer infantojuvenil que são realizados no eixo “capacitação”. O perfil e a distribuição desses profissionais que passaram pelo curso em oito municípios do estado do Rio de Janeiro são outras informações que podem ser encontradas.

O Boletim Informativo é resultado do monitoramento realizado pelo Desiderata, que lidera a Secretaria Executiva da política. É, portanto, a efetivação do eixo “informação”, detalhando em números e de forma clara e objetiva as características dos casos encaminhados: sexo dos pacientes, tipos de tumor, percentual de neoplasias malignas confirmadas, bem como outras doenças que são diagnosticadas quando os casos suspeitos chegam aos hospitais especializados. O percentual de acolhimento pelos hospitais dos casos que chegam aos polos de investigação também é apresentado, assim como os resultados da política no ano anterior e as metas previstas para o seguinte.

A leitura do material é essencial para estruturar políticas públicas e pensar ações que possam ampliar o acesso dessas crianças e adolescentes a um diagnóstico precoce, condição fundamental para a cura dos tumores que acometem essa população. Para saber mais sobre a realidade do diagnóstico precoce no Rio de Janeiro, acesse nosso site e leia o Boletim. Acesse também nossas redes sociais e marque aqueles amigos que precisam conhecer a publicação.

Sobre o Desiderata

O Instituto Desiderata, fundado há 15 anos no Rio de Janeiro, constrói uma história inovadora de atuação conjunta com gestores públicos e organizações buscando soluções que garantam a prevenção, diagnóstico e cuidado tempestivos para a saúde de crianças e adolescentes. Realiza ações de mobilização, capacitação de profissionais de saúde, humanização do tratamento e produção e disseminação de conhecimento na área. Desde seu início, trabalha para mudar a realidade do câncer infantojuvenil no Rio de Janeiro. Em 2019, amplia sua atuação para outras doenças crônicas não transmissíveis e fatores de risco, como a obesidade infantil.