Desiderata apresenta impacto da pandemia no Unidos Pela Cura em fórum de dados em oncologia

Analista de dados em saúde do Instituto Desiderata, Michele Costa apresentou dados do Unidos Pela Cura em painel que debateu o impacto da pandemia no tratamento oncológico

O Instituto Desiderata participou, na última quinta-feira (07), do 7º Fórum Big Data em Oncologia. O evento foi organizado pelo Observatório da Oncologia em parceria com o Movimento Todos Juntos Contra o Câncer e discutiu os desdobramentos da pandemia da Covid-19 no diagnóstico e tratamento do câncer.

A analista de dados em saúde do Instituto Desiderata, Michele Costa, participou do painel “Impacto da pandemia da Covid-19 no tratamento de pacientes diagnosticados com câncer” e apresentou os dados da estratégia Unidos Pela Cura no período.

O Unidos Pela Cura é uma metodologia desenvolvida pelo Instituto Desiderata que busca o aprimoramento do diagnóstico precoce do câncer infantil a partir de três eixos: a organização de um fluxo de encaminhamento para os centros de referência, a criação de um sistema de monitoramento de casos e a capacitação de profissionais da saúde para identificação dos sintomas.

Pandemia reduziu encaminhamento de casos suspeitos  

Em sua apresentação, Michele mostrou que o número de encaminhamentos de crianças e adolescentes com suspeita de câncer para centros de referência pelo fluxo do Unidos Pela Cura aumenta a cada ano, no entanto com o início da pandemia o padrão se altera. No ano de 2020, os encaminhamentos reduziram em 3% em comparação a 2019. Nos meses de abril e maio, a redução de encaminhamentos chegou a 52% e 50%, respectivamente.

De acordo com a analista de dados do Desiderata, a queda no número de encaminhamentos no primeiro ano da pandemia tem relação com a sobrecarga do sistema de saúde e a diminuição no número de atendimentos na Atenção Primária à Saúde no município.

a metodologia desenvolvida pelo Instituto Desiderata que busca o aprimoramento do diagnóstico precoce do câncer infantil a partir de três eixos: a organização de um fluxo de encaminhamento para os centros de referência, a criação de um sistema de monitoramento de casos e a capacitação de profissionais da saúde para identificação dos sintomas. Também estiveram presentes no painel a coordenadora do Observatório de Oncologia, Nina Melo, o pesquisador do Centro de Estudos Estratégicos – CEE/Fiocruz, Dr. Luiz Antonio Santini, o ex-ministro da Saúde e pesquisador do Centro de Estudos Estratégicos – CEE Fiocruz, Dr. José Gomes Temporão e o presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE), Dr. Neviçolino Pereira de Carvalho Filho.

Clique aqui para conferir os painéis do 7º Fórum Big Data em Oncologia no Youtube

Acesse o 18º Boletim Informativo do Unidos Pela Cura e conheça os resultados da estratégia